Skip to content

Como Emagrecer Rápido com a Dieta Japonesa【Cardápio para 7 Dias】

Dieta Japonesa

O povo japonês é famoso pelo estilo de vida, e a dieta japonesa traz grande estímulo especialmente por isso, já que este grupo tem a fama de ser um dos mais saudáveis do mundo, em virtude de sua alimentação.

Mas, a grande questão é que esta dieta não é focada na melhora da qualidade alimentar, e sim na perda de peso, o que acaba não tendo tanta relação com a “inspiração” original, já que a culinária japonesa não tem este princípio.

Certamente é possível constatar que manter uma alimentação saudável acaba resultando em um corpo mais magro, mas mesmo assim acaba não tendo nenhuma relação com a ideia da dieta.

Este se trata de um método mais radical, que ocasiona o emagrecimento por meio de uma alimentação altamente restritiva, que promete eliminar incríveis 6 ou 8 quilos por semana.

Mas, se não há nenhuma relação, por que se usa este nome? Quais as principais regras desta dieta? Como deve ser feita? Existem contraindicações?

Estas e outras questões serão respondidas neste conteúdo, então se quiser conhecer a dieta japonesa mais a fundo, continue conosco!

A dieta japonesa tem alguma relação com a cultura alimentar do Japão?

A cultura alimentar japonesa é motivo de inveja para muitos países do mundo, uma vez que se cultua culinária mais natural, e livre de alimentos causadores de doenças.

Até por isso, é raro encontrarmos um japonês obeso, o que acabou gerando a curiosidade de muitos, que desejavam saber qual era o segredo de tamanha boa forma, que os japoneses apresentam.

Mas, nem tudo são flores, e assim como em todos os lugares do mundo, no Japão também existe quem se encontra acima do peso, e como consequência, sofrem com isso, já que a cultura do próprio país vai contra isso.

Foi através disso que a dieta japonesa surgiu, visto que este é mais um método radical do que uma inspiração na culinária deste país.

Para quem está acostumado com os pratos equilibrados, e com as refeições completas da cultura, ao olhar a proposta da dieta verá que não tem nada a ver, pois o que se recomenda é totalmente diferente do que se pratica no país.

As refeições são altamente leves, com o intuito de prover poucas calorias, e se resumem a apenas três por dia, o que é relativamente pouco, se considerarmos que a pessoa consumiria apenas café da manhã, almoço e jantar.

A ideia desta dieta é ser hipocalórica, que resulta em obrigar que o organismo retire sua fonte de energia das reservas de gordura, já que esta não é providenciada pelos alimentos consumidos, que são leves e pobres em calorias.

Através disso se perde gordura de forma surpreendentemente rápida, pois de tão leve que são as refeições, o corpo precisa queimar uma quantidade enorme de gordura para se manter funcionando.

Fora as alimentações, só é permitido consumir bebidas, sendo estas bastante específicas, que também têm ação termogênica, auxiliando na queima de gordura por meio do aquecimento corporal.

Por que se recomenda seguir a dieta japonesa por apenas 7 dias?

Por que se recomenda seguir a dieta japonesa por apenas 7 diasA dieta japonesa é altamente efetiva? Sim, mas é exatamente por isso que se proíbe segui-la por período superior a uma semana, pois sua eficiência se deve à “agressividade” com que age, que não pode perdurar por muito tempo.

Por agressividade queremos dizer que esta dieta age de forma bem distinta do convencional, já que não é natural o corpo ser obrigado a buscar fontes de energia, o que só ocorre em casos de extrema necessidade.

Isto acaba gerando um estresse muito grande ao organismo, pois sempre que se encontra sem as calorias necessárias, este entra em estado de alerta, onde modifica as funcionalidades para que não haja prejuízos.

Todos os dias que percebe estar com poucos suprimentos, o corpo entra neste estado, então durante a dieta isto se repete por 7 vezes, o que já é bastante agressivo, então imagine se durar mais.

Por mais que pareça simples, não é natural um organismo precisar retirar de si próprio suas reservas de energia, o que acaba resultando em prejuízos, e estes podem vir a se tornar doenças graves.

O que se tem como foco é que este período de 7 dias serve para “desintoxicar” o organismo, livrando-se dos excessos, e após este se inicia o tempo de reeducação, onde se consome alimentos mais saudáveis, para continuar o emagrecimento.

Então, caso você esteja querendo seguir a dieta por mais de 7 dias para perder muito mais peso, saiba que este não é o recomendado, e isto pode lhe trazer grandes prejuízos, além de não funcionar, então não vale à pena.

O melhor é fazer tudo conforme se recomenda, para garantir que não lhe causará nenhum mal, e muito menos prejudicará seus resultados, então fique atento e não tente “estender” o tempo da dieta.

Como funciona o cardápio da dieta japonesa

O cardápio da dieta japonesa é muito diferente do que se espera, visto que nele você não encontrará nada como sushi, alimentos à base de peixe e algas, pois como dissemos, não é esta a proposta da dieta.

Para dizer bem a verdade, a dieta consiste em alimentos muito leves, que tem a quantidade de calorias muito baixa, a fim de promover menor ganho de calorias e maior queima de gordura.

Mas, não pense que é possível montar seu próprio cardápio, apenas levando em consideração a leveza do alimento, já que o método proíbe qualquer alteração, sendo imprescindível seguir à risca para alcançar os resultados.

Cardápio completo da dieta japonesa

Cardápio completo da dieta japonesa1º dia:

Café da manhã: Café ou chá de sua preferência com adoçante.

Almoço: Dois ovos cozidos com sal, acompanhados por verduras.

Jantar: Um bife grande com salada de alface e pepino.

2º dia:

Café da manhã: Uma bolacha de água e sal e chá ou café com adoçante.

Almoço: Um bife grande, acompanhado por verduras e frutas de sobremesa.

Jantar: Fatias de presunto à vontade.

3º dia:

Café da manhã: Uma bolacha de água e sal, café ou chá de sua preferência com adoçante.

Almoço: Dois ovos cozidos e salada com tomate à vontade.

Jantar: Salada de repolho com cenoura e chuchu à vontade.

4º dia:

Café da manhã: Uma bolacha de água e sal, café ou chá à vontade.

Almoço: Um ovo cozido, uma fatia de mussarela, cenoura cozida ou crua à vontade.

Jantar: Um copo de iogurte natural e salada de frutas à vontade.

5º dia:

Café da manhã: Bolacha de água e sal com café ou chá com adoçante.

Almoço: Um filé de peixe frito com tomate à vontade.

Jantar: Um bife, e salada de frutas à vontade.

6º dia:

Café da manhã: Bolacha de água e sal com chá ou café com adoçante.

Almoço: Frango assado à vontade.

Jantar: Dois ovos cozidos temperados apenas com sal.

7º dia:

Café da manhã: Bolacha de água e sal com chá ou café com adoçante.

Almoço: Um bife e salada de frutas à vontade de sobremesa.

Jantar: Comer o que quiser, tendo bom senso.

Importância das bebidas para a dieta japonesa

Além dos alimentos certos, existem bebidas específicas recomendadas, sendo estas a água, os chás e o café, que são imprescindíveis para o sucesso do procedimento.

Muita gente acaba deixando as bebidas de lado ao fazerem dieta, mas com a dieta japonesa isso não é possível, já que estas são muito importantes, pois agem na queima de gordura.

Isto ocorre, pois alguns chás e o café são bebidas termogênicas, e estas ao entrarem em contato com o organismo o aquecem, e dessa forma promovem a queima de calorias de forma mais acelerada.

Isto contribui muito para o aceleramento do metabolismo, e nesta dieta isso é bastante relevante, por isso deve ser seguida à risca a recomendação de consumir os líquidos de forma adequada.

Além disso, nos momentos de fome, são eles que acabam salvando, pois também são pouquíssimos calóricos, não interferindo no andamento da dieta, e assim evitando deslizes.

Por serem apenas três refeições permitidas por dia, o processo se torna bastante complicado, levando muitas pessoas a desistirem, pois como a quantia de caloria ingerida é baixa, a fome acaba aparecendo de forma bastante impactante.

Tomar chás ou uma xícara de café pode não ser aquilo que se deseja, mas realmente é uma boa ajuda, pois os líquidos também saciam, então fome você não passará, só terá que lidar com a vontade de comer, que pode aparecer.

Mas, tome cuidado, pois muitos chás e principalmente o café são ricos em cafeína, então não é recomendado tomar muitas xícaras ao longo do dia, pois a cafeína em excesso traz danos bastante significativos ao organismo.

O que está realmente liberado é a água, que você pode tomar bastante e quanto mais, melhor, já que esta ajuda a limpar o organismo e também a eliminar calorias, o que é ótimo para o processo.

Vantagens e desvantagens da dieta japonesa

Vantagens e desvantagens da dieta japonesaPassar por processos de emagrecimento é algo que traz grandes benefícios, mas ainda assim os efeitos colaterais são inevitáveis, especialmente quando se trata de algo mais rigoroso.

A dieta japonesa acaba entrando neste meio, pois é nítido que a forma com que promove o emagrecimento é muito diferente do que costumamos seguir na rotina alimentar, o que gera certo descontrole no organismo.

Por isso, é importante conhecer os benefícios e os malefícios que podem ser conseguidos com o método, pois assim se decide se é favorável para o indivíduo ou não, levando suas particularidades em consideração.

Vamos começar falando dos benefícios, ou seja, tudo aquilo que o método tem como vantagem, que o torna, aos olhos de alguns, a melhor opção para passar pelo processo de perda de peso.

O primeiro ponto que serve como estímulo é o fato de trazer resultados rápidos e comprovados, caso o indivíduo siga corretamente, já que promove a perda de peso de quase 1 quilo por dia.

Além disso, o método é altamente barato, pois como se pôde ver no cardápio, não há nada que seja caro, como ocorre com muitas outras dietas, e na maior parte das vezes o recomendado se tem em casa.

Passando para a desvantagem, a primeira se dá pelo fato de promover uma perda de peso muito rigorosa, e que não tem a saúde como prioridade, podendo acarretar em prejuízos grandes à saúde.

Além disso, não é um método personalizado, o que significa que não providencia as necessidades específicas para cada pessoa, podendo resultar em possíveis prejuízos, tais como anemias ou quadros mais graves.

Recomendações para uma dieta saudável e segura

Mostramos algumas desvantagens e talvez você tenha se assustado, mas fique tranquilo, pois embora estes riscos existam, é possível investir em alguns métodos para evitar os prejuízos.

O primeiro deles seria, como já dissemos, seguir o tempo de dieta estabelecido de forma rigorosa, pois desta forma não há tempo para que doenças ligadas à defasagens nutricionais ocorram.

Também é importante ter cuidado, e respeitar seus limites, pois não adianta insistir em consumir poucas calorias, caso isto te cause tonturas, mal estar e enjôos, pois isto acarreta na liberação de substâncias prejudiciais pelo próprio organismo.

Esta dica é muito importante para quem é acostumado a consumir muita comida, ou então para quem tem um porte físico muito grande, pois em geral estas pessoas precisam de mais alimentos para suprir suas necessidades, então uma dieta como a japonesa não é recomendada.

Outra dica interessante é não fazê-la, caso sua rotina exija um gasto calórico muito alto, pois isso acabará lhe trazendo prejuízos, uma vez que seu corpo não terá condições para suportar, por estar mal abastecido.

O mesmo vale para quem pretende praticar exercícios, pois não é que seja ruim, mas exercícios muito rigorosos exigem uma nutrição maior e mais complexa, o que não ocorre com a dieta japonesa, e assim você pode passar mal.

Neste período, de 7 dias, evite realizar atividades vigorosas, pois você já estará queimando bastante calorias apenas com a dieta, e investir em exercícios pode ser demais, e lhe trazer malefícios.

Seguindo estas dicas, e levando em consideração suas necessidades, a dieta japonesa pode ser excelente para você, e realmente lhe ajudar a perder peso, por isso avalie bem esta opção!

5/5 - (1 vote)
Compartilhar:

Gostou? Alguma dúvida? Deixe seu comentário!

comentários

Método Revolucionário Elimina Até 10kg em 27 dias!Clique Aqui!